.posts recentes

. LINHA DO TUA

. CCDR trava prospecções no...

. Adorei este artigo!

. Factura EDP

. Os lobos da governança

. Convite para audição públ...

. Presidente do INAG desmen...

. Barragem de Foz Tua

. A todos os amigos e visit...

. Partido “Os Verdes” diz q...

. Montesinho terá energia e...

. O Governo ainda não sabe ...

. Barragem do Tua

. Governo aprova Programa N...

. Tente acertar!

. Este blog também está de ...

. Gato Fedorento / para rir

. República dos bananas

. As mãos limpas

. Autocarro avariado acende...

. Homenagem A Florencia e à...

. Salvem a Linha do Tua

. Debate em Mirandela - Inf...

. Estalou o verniz ao Gover...

. Barragem vai afogar linha...

. Contra o fecho da Urgênci...

. Tratados como animais!

. A minha mãe partiu para o...

. Água castanha obriga Câma...

. Funcionários públicos - A...

. A lei da selva

. Mais pobres pagam cada ve...

. Música medieval em Carraz...

. Imagens do blog do amigo ...

. Ministra da Educação - Ga...

. Encerramento das Urgência...

. As grandes questões do no...

. Ministro da má saúde dos ...

. Parque de campismo flutua...

. os perigos de dizer a ver...

. "Faça dos outros estúpido...

. O deserto da Margem Sul

. O Engenheiro Areias / Est...

. Apoio à Greve Geral

. A 30 de Maio os trabalhad...

. convite

. As imagens valem por mil ...

. Mapa de Portugal

. Última hora / Murça: mini...

. Sócrates pediu o esforço ...

.arquivos

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

.Fazer olhinhos

.Sergei cartoons


Cartoons, Caricatures, Comic Strips & much more!

Estou no Blog.com.pt

Terça-feira, 11 de Dezembro de 2007

Barragem do Tua

Cenários
Carlos Cipriano

A cota da barragem da foz do Tua vai determinar o futuro da linha de 54 quilómetros que liga Tua e Mirandela: à cota de 200 metros, ficam submersos 35 km entre Tua e Ribeirinha; à cota de 170 metros, ficam submersos 20 km entre Tua e Brunheda; e, à cota 160 metros, ficam submersos os 13 km entre Tua e Santa Luzia.
A administração da Refer, na passada sexta-feira, ainda não sabia que iria ficar sem um importante troço da Linha do Tua, devido à decisão - já anunciada pelo Governo - de construir a barragem da foz do Tua. Um documento do Instituto da Água refere que a barragem, à cota de 200 metros, submerge 35 quilómetros daquela via-férrea entre a estação do Tua e de Ribeirinha, mas admite que, "para minimizar a interferência com a linha de caminho-de-ferro do Tua", a adopção de uma cota de 170 metros já só deixaria inundados 20 quilómetros da linha (Tua-Brunheda). Um terceiro cenário considera uma cota de 160 metros, o que permitira que o comboio chegasse de Mirandela a Santa Luzia, ficando apenas submersos 13 quilómetros de carris.
O mesmo documento alerta, porém, que a redução das cotas para estes últimos valores "reduzirá naturalmente a potência a instalar e a energia produzida pelo aproveitamento".
Apesar da preocupação em "salvaguardar parte da via-férrea", o referido estudo omite que qualquer solução acaba com a ligação da Linha do Tua à Linha do Douro, que é a sua principal geradora de tráfego.
Questionada pelo PÚBLICO sobre se faria sentido continuar a existir uma meia Linha do Tua, amputada do resto da rede ferroviária, a administração da Refer respondeu: "É assunto que não foi colocado a esta empresa pelo que não nos pronunciamos." Susana Abrantes, porta-voz da gestora de infra-estruturas ferroviárias, disse que a EDP nunca contactou a Refer sobre a barragem do Tua.
O troço em causa é também o mais interessante do ponto de vista paisagístico, pois acompanha o rio na sua parte mais sinuosa e faz desta linha uma das obras mais emblemáticas da engenharia portuguesa do século XIX. Essa é, aliás, uma das razões pelas quais a linha tem mais procura no Verão - grande parte dos passageiros faz a viagem de comboio pelo pitoresco da paisagem e da própria infra-estrutura.
Após o acidente de 12 de Fevereiro deste ano, perto de Santa Luzia (que vitimou três ferroviários), a Refer investiu 100 mil euros na reconstrução da linha no local do acidente e na estabilização dos taludes, mas o LNEC não deu um parecer favorável à sua reabertura e impôs que as automotoras circulassem em "marcha à vista", de modo a que o maquinista possa parar ao mínimo obstáculo avistado. Esta situação inviabiliza a exploração comercial da linha, pois imporia velocidades inferiores a 30 km/hora.
A expectativa da Refer é a de que, satisfeitos alguns requisitos do LNEC, a linha reabra antes do Natal. E como da barragem só tem conhecimento pelo que vem nos jornais, a administração continua a investir na modernização daquela infra-estrutura, onde prevê gastar perto de um milhão de euros entre Mirandela e Frechas, um troço, aliás, que não está previsto ficar inundado.
20 mil metros de história
O Guia de Portugal (edição da Fundação Calouste Gulbenkian) conta que a construção dos primeiros 20 quilómetros desta linha "exigiu vigoroso ânimo aos engenheiros e trabalhadores, que aí formigaram por algum tempo, a romper rochedos e esporões, muitas vezes dependurados por cordas e empoleirados em pranchas rapidamente guindadas quando se acendiam os rastilhos". É este troço da Linha do Tua que desaparecerá se a barragem vier a ser construída.

In: PÚBLICO: Edição Impressa Versão para cegos
11 de Dezembro de 2007 - 09h37


publicado por laura_ceu às 10:36

link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De guedesnet a 7 de Janeiro de 2008 às 14:04
ainda vai haver muita discussão á volta deste assunto.
saudações

frechas-frechas.blosgpot.com


Comentar post


Cadastre-se no Trafegando - Divulgue Seu Site Gratuitamente e aumente suas visitas gratuitamente!

.mais sobre mim

.pesquisar

 

<script

.tags

. todas as tags